quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Tosta de mozzarella, tomate e oregãos



Ainda de volta ás férias...
Quem conhece a praia de Odeceixe sabe que se trata de uma enorme extensão de areia, banhada de um lado pelo atlântico e do outro pelo rio Odeceixe. Ora, sendo assim, espaço para pôr a toalha não é problema e todos podem escolher o seu espaço sem interferir muito na privacidade do vizinho banhista. Pois muito bem, tudo isto é verdade enquanto a maré esta vasa, porque assim que a maré começa a encher, é quem mais puxa a toalha para trás e o areal que até aí era enorme, em pouco tempo fica reduzido a metade ou menos, assim como o espaço entre os banhistas e é aí que passamos a ser cuscos á força.
Quando estamos rodeados de pessoas a meros centímetros de nós é quase impossível não ouvir as suas conversas! Algumas embalam-nos tal qual as ondas que vão e vêem num ritmo certo e relaxante e quase nos fazem dormir. Outras despertam-nos os sentidos, deixam-nos alerta e com vontade de saber mais. Como saber da vida dos outros não me estimula minimamente, só mesmo conversas sobre comida para me deixarem em sentido!
Esta conversa em particular tinha a ver com umas famosas tostas de pão alentejano, queijo e tomate, temperadas com oregãos e azeite que se comem num bar perto da praia e que fizeram as delícias de umas veraneantes da praia de Odeceixe. Eu, como quem não quer a coisa, lá fui ouvindo os pormenores sobre os ingredientes, a textura e o sabor e claro, assim que tive oportunidade, fui para a cozinha e segui a "receita" á risca, sem tirar nem pôr. Em questão de minutos, lá estava ela, a dita cuja, a genuína, a bendita tosta que me tinha deixado a salivar.
Resumindo e concluíndo, valeu bem a pena o "Espírito santo de orelha" no areal da praia de Odeceixe.
A tosta é deliciosa!



Ingredientes:
2 fatias de pão alentejano
1 mozzarella fresca
1 tomate chucha
Oregãos secos
Azeite
Sal fino (opcional)

Preparação:
Parta o queijo e o tomate em rodelas .
Numa fatia de pão disponha primeiro as rodelas de queijo depois por cima as de tomate.
Regue o tomate com um fio de azeite e tempere com os oregãos.
Por fim cubra o tomate com uma fatia de pão.
Leve ao forno ou ao grelhador até o queijo derreter um pouco.
Regue a tosta com um pouco de azeite e é só comer.
Print Friendly and PDF

14 comentários:

»¤Þ䵣䤫 disse...

Uma delícia! Simples e maravilhoso! Bjos

Missy disse...

por vezes ser cusca resulta !!!!!!
já fiz destas tostas, mas sem ser em pão alentejano, mas com pão de forma e realmente é muito bom.
Pena estar tão longe para experimentar com esse pão , mas por aqui também se encontram muitos bons pães, especialmente o de Rio Maior !!!!

bjka

Abelha Maia disse...

São mesmo uma delicia.
bjss

anna disse...

Nem sempre consigo pão alentejano, mas com pão de Mafra também ficam óptimas...
Beijinhos.

Fla disse...

Hum, eu não tenho esse tipo de pão aqui no Brasil, mas acho que um tipo ciabatta deve ficar bom tb.
Vou testar.
Beijão,
Fla

G' disse...

Tanto a tosta como a sua história são deliciosas. E às vezes, quando a praia está a abarrotar, é mesmo impossível não ouvir :p
Beijinhos*

♥ mesa para 4 disse...

Hummmm que delícia :*

Sushibaby disse...

Essa tosta deve estar uma delicia, so de imaginar fico com água na boca...
Beijinhos

Raspas de Laranja disse...

Que ricas toastas/sandocas. Bjs

Filipa disse...

Que bela tosta.Tem um aspecto super delicioso e fresquinho. Realmente valeu a pena ouvir a receita para a poder partilhar connosco;-) Beijinhos

Vina disse...

Por vezes a cusquice resulta muito bem, não é mesmo? A tua tosta tem um aspecto delicioso! Beijinhos e bom fim de semana.

"Manjares da Manu" disse...

Hummmm, delícia!!!!

Bjs... Bom fim de semana!!!

monica disse...

Um beijinho grande e um bom fim de semana para todas!

Anónimo disse...

Odeceixe também faz parte das minhas memórias. É uma terra simpática, com muita luz...Passámos lá alguns anos em férias, ainda no rio havia berbigão e canivetes que nos divertíamos a apanhar, com o sogro de uma das minhas irmãs.Depois em casa, fazíamos um arroz delicioso com eles bem fresquinhos. Hoje já não se encontram por causa da poluição e da construção da ETAR...
Tenho saudades da ida a pé até à praia e da travessia do rio na maré baixa à procura de pedras para pintar...( Na altura ainda havia polvos nas rochas.)
Depois disto sabia mesmo bem uma das suas tostas! Bjs. Bombom

UA-16306440-1