segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Pequeno tratado das compotas e outros segredos preparados



Quando soubemos da feira do livro na Fundação Cupertino de Miranda, decidimos fazer-lhe uma visita, já que ter a possibilidade de comprar entre variadíssimos títulos com preços entre 1 e 10 euros é sem dúvida uma tentação.
Assim Domingo de manhã, partimos os quatro em busca de tesouros impressos e mal entramos na grande sala onde se encontravam expostos todos os livros dos mais variados temas, foi cada um para seu lado, à procura das respectivas preferências.
No fim da visita trouxe comigo dois livros de cozinha mas um deles em especial, mereceu a minha atenção imediata, tudo por causa do pequeno texto escrito na contra capa. Aquelas poucas mas belas palavras deixaram-me espreitar sorrateiramente no mundo culinário de uma outra mulher e com o qual eu me identifiquei de imediato. E como já devem saber, o mundo culinário de cada um não é só feito de receitas e de umas quantas queimaduras nas mãos, é antes de mais feito de memórias, sentimentos e impressões.
O nome do livro é Pequeno tratado das compotas e outros segredos preparados cuja autora é Ana Paula Jordão e foi escrito de uma forma deliciosa, o tipo de escrita com o qual eu me identifico, aquele que me enche as medidas, por assim dizer.
Assim, sobre o doce de abóbora menina pode-se ler:

"A vez à abóbora-menina...
Lembra-me aquela categoria de mulheres, já raras nos tempos que correm, que nunca deixavam de ser meninas. Os anos não passavam e elas, por perdição de amor não correspondido, por abandono ou perda, iam permanecendo sós, habitando a casa que fora dos pais,...Integrando a paisagem dos lugares, distribuindo a sua ternura pelos ditosos que o acaso colocava ao seu alcance... Cheiravam a lavanda e a colónia inglesa de rosas. Tinham sempre bolachas e bombons em casa, não fosse aparecer alguma criança. Eram Alcinas ou Lucindas, Odetes ou Gorettes, Alziras ou Laurindas, as meninas. Amáveis, desta mesma amabilidade que na abóbora-menina encontramos."

Da autora gostava de saber um pouco mais já que a informação disponível não é muita, mas contento-me com a leitura deste pequeno tratado,... Pequeno de tamanho mas onde cabe todo um mundo de cores, cheiros e sensações.
Print Friendly and PDF

4 comentários:

Bombom disse...

Também me delicio com certos livros que não são apenas de receitas, mas deixam transparecer os aromas e os sabores junto com histórias de vidas, tradições, hábitos da cultura ancestral...
Voltei de novo e agora para ficar. Como sempre, fiz bem passar por cá.Este livro que compraste parece muito interessante e por certo teremos por aqui novas gulodices!
Bjs Bombom

ameixa seca disse...

Por momentos fiquei confusa, é que aqui em Famalicão há uma fundação Cupertino de Miranda. Mas acho que não é a mesma :)
Esse livro promete, o texto transpira poesia e simpatia!

Tati Campêlo disse...

Estou divulgando meu novo blog
www.gastronomiaefotografia.blogspot.com
Se puder de uma passada lá!

Atenciosamente
Tati

monica Pinto disse...

Bombom,
eu perco-me por livros de cozinha que contem histórias além de também mostrarem receitas. São quase uma obsessão.
Bjs

Ameixa,
A Cupertino de Miranda de que falo è a da Boavista, não conheço outra, para ser mais exacta è Fundação Dr. António Cupertino de Miranda.
Bjs

Ok Tati
Bjs

UA-16306440-1