quinta-feira, 28 de abril de 2011

Caril tailandês de vieiras





Nos primórdios da minha história culinária, houve um tempo em que caril era apenas um singelo frango estufado espevitado com um pouco de caril em pó e acompanhado de arroz de açafrão. Sofisticado? Não, não era, mas sabia muito bem e na altura isso bastava e ponto. Eu devia ter 13 ou 14 anos e vivia debaixo das asas, da minha avó e da minha mãe, que eram muito dadas aos cheiros e temperos tradicionais. Caril que é bom, nem pó, ou para ser mais direta, nem em pó! Mas claro, a adolescência guia-se por uma razão que a própria razão desconhece e sendo eu uma adolescente na altura, achei que uma pequena revolução nas cozinhas alheias, era mesmo o que vinha a calhar. E assim, vai de um dia "sabotar" o frango e dar-lhe um ar mais exótico, com uns pozinhos aromáticos, vindos de terras longínquas... E com isto, pensava eu que iria abalar os alicerces do conservadorismo culinário. A coisa não correu como eu esperava. Pela hora do jantar, já estava eu à espera que uma nuvem negra pairasse sobre a minha cabeça, pronta a descarregar uma chuvada de queixas e de frases cheias de indignação... Mas não. A única reacção a que tive direito foi um, "Está muito bom. O que é que puseste no frango?...Acho que podes começar a fazer o jantar mais vezes..."!!!??... Não era bem disto que eu estava à espera.
A adolescência passou e os anos também. Comecei a compreender que o "conservadorismo culinário" das cozinheiras com quem cresci, era muito mais precioso e rico do que qualquer "pozinho" exótico vindo da Ásia. Era nele que estavam as minhas raízes, o pedaço de chão que me sustinha. Não era exótico nem aventureiro, mas era meu e tinha feito uma longa viagem através de muitas gerações para chegar até mim. Era um saber sem tempo e sem preço, e eu era (e sou ) uma privilegiada. Ainda assim, o caril, seja de inspiração indiana ou tailandesa, ganhou para sempre um lugar cativo na minha cozinha. Hoje, caril que é caril é feito a preceito e com tudo a que tem direito. Quando o tempo é de sobra junto especiarias e ervas, uma a uma de acordo com o tipo de caril. E quando ele me falta uso pasta. Já das vieiras o que é que vos posso dizer? Salivo só de pensar nelas. São delicadas, saborosíssimas e num caldo de caril ficam ainda melhores!  E se do caril já só sobram mesmo os retratos, já as rosas nascem sem parar e lembram-me a cada dia que passa que a Primavera está aqui para ficar...E isso é bom, não é?





Ingredientes:
400 g. de vieiras
1 colher de sopa de óleo vegetal
1 lata de leite de coco
1 colher de sopa de pasta de caril
1/2 colher de chá de malagueta em pó
1 haste de erva limeira cortada em rodelas
Coentros frescos picados
1 chili vermelho cortado em rodelas
Sal

Preparação:
*Aqueça o óleo num tacho e junte a pasta de caril, a malagueta em pó e a erva limeira.
* Mexa para misturar os ingredientes e junte o leite de coco. Misture bem, deixe levantar fervura e junte sal a gosto.
*Deixe ferver em lume brando por 5 minutos e junte as vieiras previamente limpas do excesso de água.
*Cozinhe as vieiras no caril por 2 minutos. As vieiras não devem ser cozinhadas demais, 2 minutos é quanto basta.
* Ponha num prato de servir, polvilhe com coentros e chili e sirva com arroz basmati e gomos de lima ou limão. Print Friendly and PDF

14 comentários:

Nane Cabral disse...

Mônica, é a primeira vez que visito o seu blog e fiquei encantada, com as receitas, com as fotos... e por isso já virei seguidora. Tenho um blog tb, qdo puder me faça uma visitinha, tem café fresquinho sempre por lá, rs... Beijinhos, Nane www.vovoqueensinou.blogspot.com.br

Felismina disse...

Esse vieiras estão maravilhosas e devem ser bem suculentas, hummm...
é só maravilhas neste cantinho, beijinhos.

Ana Rita disse...

Confesso que sou fan de caril e em geral de comida aromática!!!Vieiras nunca experimentei com receio de não apreciar, uma vez que não há nenhum bivalve que aprecie!!!Mas o teu caril deixou me tentada a experimenta-las...
As rosas são uma perfeição da Natureza!!!

Bjoka
Rita

Beta disse...

Ainda não tive oportunidade de experimentar vieiras, mas caril eu adoro e seu prato está lindo! bjs

Babette disse...

Adorei as memórias que acompanham mais uma receita. E adorei a receita, já agora!...
Caril e vieiras são muito apreciados cá por casa. Juntos é que ainda não me tinha ocorrido!
Beijo
Babette
PS. E um livro de culinária?...qdo te aventuras? Eu compro!.... 2!...

A Paixão da Isa disse...

adoro caril e esse partinho esta de tirare o chapeu beijinhos

monica Pinto disse...

Olá Nane,

Agradeço o simpático comentário e a visita.
Espero visitá-la em breve.
Beijinhos

Olá Felismina,

Obrigada pela visita e pelas palavras que me deixou.
É sempre muito bom saber que gosta do que faço.
Beijinhos


Olá Ana Rita,

Tem que experimentar, se calhar até vai gostar e bastante. Apesar de que gostos não se discutem, mas assim não custa nada tentar.
É verdade as rosas são mesmo uma perfeição.
Obrigada pela visita e pelas palavras que me deixou.
Beijinhos

Olá Beta,

Assim que puder experimente. As novas experiências enriquecem-nos sempre.
Que bom que gostou do prato. Isso deixa-me sempre muito contente.
Obrigada pela visita e pelo simpático comentário.
Beijinhos


Olá Babette,

Passados 3 anos e pouco, este blog já não é apenas um receituário, é também um arquivo de memórias. Mas eu gosto que assim seja. É uma forma de me lembrar de situações que de outra forma, se calhar, acabava por esquecer.
Quanto ao caril e às vieiras, vejo que temos gostos idênticos, mas eu já sabia que temos afinidades pelo que vou vendo na tua "Festa".
Perguntas-me quando é que me aventuro a publicar um livro de culinária. Bem, a vida é uma caixinha de surpresas e eu estou de braços abertos para todas as surpresas boas. O futuro o dirá...Mas é bom saber que à partida já vendi dois livros!;D
Obrigada pela visita e obrigada pelo comentário inspirador.
Beijinhos

Olá Isa,

Obrigada pela visita e pelo comentário. Gosto de saber que apreciaste a receita.
Beijinhos

Filipa disse...

Eu também compro!!!! Livro! Livro! Adorei a receita! Nunca fiz caril de vieiras....mas confesso que adoro caril de todas as formas, por isso este não deve ser excepção! Um beijinho

monica Pinto disse...

Olá Filipa,

Bom, já vendi 3 cópias, acho que é um bom começo;)
Também eu Filipa, adoro caril, seja de carne, peixe, marisco ou vegetais. É uma mistura de temperos irresistível.
Obrigada pela visita e pelo comentário cheio de entusiasmo.
Beijinho

www.amsk.org.br disse...

Pra variar ... PERFEITO.

Cozinha dos Vurdóns

Viciante disse...

Olá!

Descobri recentemente este blog e gostei mesmo muito, porque tem receitas, memórias e fotos lindas!

Nunca fiz vieiras e tenho uma dúvida: onde se adquirem? Existem nas grandes superficies?

Gostava muito de experimentar fazer este caril, que é sempre algo apreciado lá em casa!

Parabéns pela partilha e obrigada!

3 B's disse...

Adoro vieiras e adoro caril, nunca me tinha passado pela cabeça um caril de vieiras mas só pode ser delicioso.

monica Pinto disse...

Olá Cozinha dos Vurdóns,

Obrigada e beijinhos para uma cozinha muito especial.


Olá Viciante,

Antes de mais obrigada pelo comentário tão simpático. Quanto às vieiras elas podem ser encontradas nas grades superfícies facilmente mas congeladas. Frescas encontram-se nos mercados de peixe, principalmente nas lotas.
Obrigada pela visita e beijinhos

Olá 3B´s,

O caril de vieiras fica realmente muito bom.
Obrigada pela visita e beijinhos

Marmita disse...

ai como eu adoro vieiras.. e caril.. adoro tudo! parabéns mais uma vez pela bonita imagem! um beijo

UA-16306440-1