quinta-feira, 9 de junho de 2011

Iogurte de cerejas e chocolate










Voltando ainda ao tempo em que os adolescentes desta família eram bem mais pequenos...

As cozinhas das casas por onde passámos, pois tiveram a sua alegre conta de cuspidelas de papa e de sopa. As paredes foram, nos dias mais inspirados,  forradas a pêra Williams amassada e a Cerelac. Nos dias assim assim, foram apenas pista de aterragem para pedaços de bolacha ou migalhas de qualquer coisa.
Já no chão, fizeram-se grandes combinações gastronómicas, de tudo o que vos vier à cabeça. Aliás, atirar comida para o chão, era uma prática muito didática e divertida, para os bébés claro. Ficavam muito atentos, debruçados na cadeira a ver a comida a cair e assim que a viam desfazer-se no chão, riam-se como se não houvesse amanhã. Era a alegria total...e o pandemónio também!
Hoje, os bébes já são adolescentes (pelo menos em tamanho!). Não cospem a sopa nem sujam fraldas mas em contrapartida, deixam roupa espalhada pelo quarto e quando me apanham distraída, põem-se sorrateiramente  à frente do computador com uma sande na mão e sem prato para aparar as migalhas em queda livre . Quem disse que a vida era perfeita? Isso é uma utopia. No entanto há dias em que vislumbro pequenos raios dessa perfeição. Por exemplo, o  dia em que o D. cozeu a primeira panela de esparguete e cozinhou o respetivo molho de tomate. A perfeição não estava no esparguete (que cozeu demais), nem no molho ( que levou apenas azeite e uma lata de tomate) mas sim no primeiro passo dado na cozinha. Muitos anos antes outro primeiro passo tinha sido dado e depois desse veio outro e a partir daí o mundo ficou mais perto de ser percorrido e descoberto. Na cozinha, também tem sido assim. Passo a passo os meus dois adolescentes vão "ganhando mundo". Viram-me a cozinha do avesso mas enfrentam o fogão sem medo ou vergonha , como se o conhecessem de toda a vida e a verdade é que até conhecem. Toda a vida me viram de volta dele e agora é bom vê-los a começar a pôr em prática o legado. Mas porque eles ainda estão a começar, eu ainda não preciso de arranjar desculpas para lhes cozinhar o que quer que seja. Tanto o D. como o J. gostam bastante de cerejas, de iogurte e de chocolate (quem sai aos seus...). Ora, daí até chegar a esta sobremesa, a distância a percorrer não foi muita. E tudo começou com este xarope. Depois do bolo lembrei-me de fazer esta sobremesa. É simples e junta três coisas que eles adoram (nós, mãe e pai também) e é muito bonita, fresca e primaveril. O xarope é um pouco diferente do usado no bolo porque é mais espesso, depois de frio fica quase como uma gelatina. O iogurte é apenas posto a escorrer para libertar líquido e ficar cremoso como o iogurte grego. O chocolate preto e as cerejas frescas (um pouco mais ácidas) dão-lhe o contraste.
Chamar-lhe receita? Não sei...Aqui chamamos-lhe iogurte de cerejas e chocolate.















Ingredientes: 4 pessoas
5 iogurtes de baunilha
100 g. de cerejas
50 ml. de água
2 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de chá de maizena (amido de milho)
Raspas de chocolate preto
cerejas frescas

Preparação:
*Ponha o conteúdo dos iogurtes dentro de um coador fino, pousado em cima de uma tigela. Isto vai retirar-lhe líquido e torná-lo mais cremoso como o iogurte grego. Deixe assim 1 a 2 horas.
*Tire os caroços às cerejas com a  ajuda de uma faca ou então com um utensílio próprio (o mesmo que se usa para tirar os caroços às azeitonas).
*Numa caçarola ponha o açucar, as cerejas e a água e leve ao lume até o açucar dissolver e ficar com um xarope fino e rosado. Tire a caçarola do lume.
*Misture as 2 colheres de maizena com 1/3 de um copo de água, dilua bem até ficar sem grumos e junte ao xarope de cerejas. Leve ao lume a engrossar, mexendo sempre até começar a borbulhar.
*Se o xarope ficar muito espesso junte um pouquinho de água e mexa, isto tendo em conta de que ao arrefecer, ele vai ficar mais consistente.
*Depois de frio, encha 1/4 de cada copo com o molho/creme de cerejas, cubra com o iogurte cremoso e polvilhe com raspas de chocolate e leve ao frio.
*Sirva com cerejas frescas e se gostar, com chocolate extra.




Print Friendly and PDF

12 comentários:

Ana Rita disse...

Uma sobremesa leve mas muito saborosa decerteza.

Bjoka
Rita

paula MARIANA disse...

Uma delicia assim como delicioso foi ler o texto. As fotos ficaram como sempre fantásticas, adorei mais esta partilha,

beijinhos!!

Marta Benicá disse...

Ficou ótima a receita. Um abraço, Marta.

Carla disse...

Mónica,
Receita ou não, o facto é que ficou uma delicia. E tão simples que é que só dá vontade de cozer para a cozinha e repetir até à exaustão.
Beijinhos

Lume Brando disse...

Olá Mónica, venho cá muitas vezes, mas julgo que nunca comentei. Parabéns pelas receitas, pelas fotos, pelo styling, por tudo. Este blog é uma verdadeira inspiração, ao nível do que de melhor se faz lá fora.
Um beijinho
Teresa

Simples Assim disse...

Que blog lindo! Conheci hoje e fiquei encantada. Parabéns!
Lylia

♥♥ belinhagulosa ♥♥ disse...

Que maravilha de sobremesa amiga...adorei...bjokinhass

molai disse...

ola monica.
como pedido ca te deixo o meu email.
carolinedesousa@live.fr e desde jà obrigada .
bisous.

www.amsk.org.br disse...

Olá Mônica, a receita deu pra fazer por aqui, divino.

Seu bacalhau em nossas melhores recordações de Lisboa.
http://cozinhadosvurdons.blogspot.com/2011/06/lisboa-cidade-dos-ventos.html

5 bjs

Ana disse...

Blog lindo, deliciosa receita!
Beijinhos.

Babette disse...

Um elogio ao meu fruto preferido. Fiquei com vontade de pôr em prática rapidamente...
E mais uma vez as fotos, a história... perfeitos!
E parabéns aos 2 adolescentes que não têm nem medo nem vergonha do fogão! Os meus tb não parecem ter... mas convenhamos que aos 5 anos só sai asneira ou perigo. Mas é bom vê-los a rondar...
Babette

Bruna do Gourmandisme disse...

Olá, cheguei agora ao seu blog, através de um link em outro, e amei! Suas fotos são lindas e as receitas deliciosas! Parabéns!

UA-16306440-1