quinta-feira, 14 de julho de 2011

Crumble de amoras silvestres sem glúten # Gluten free wild blackberries crumble








As amoras estão para o Verão como os cogumelos para o Outono. E eu mal posso esperar pela altura certa de apanhar ambos.

Há algumas semanas, o João descobriu por acaso, uma extensão imensa de silvados carregados de amoras e o melhor de tudo é que até fica relativamente perto de casa. Nos últimos anos, fazíamos a apanha no Gerês e no Alentejo mas depois de descobrir este "filão", agora posso fazê-lo também aqui.

Esperámos 15 dias para que as bagas tivessem tempo para amadurecer e no passado Domingo, depois de uma pequena caminhada, entrámos alegremente num verdadeiro paraíso das amoras, com um pequeno e pontiagudo senão, os picos!  Algumas horas mais tarde, já as sacas pesavam e nós começávamos a estranhar sermos os únicos a aproveitar tamanha abundância. À  volta da zona há várias casas, parte do silvado está à face da rua, passam carros e pessoas e no entanto, ali estavam quilos e quilos de amoras à nossa espera e de mais ninguém. Durante o tempo que lá andámos, reparei na curiosidade das pessoas e houve até um carro que abrandou e alguém disse "estão a apanhar amoras!" com um tom de surpresa, como se fosse uma coisa extraordinária!... Mas afinal, já não se apanha amoras nesta terra? E agora que penso nisso, não houve uma única altura nos últimos anos em que eu tenha visto mais alguém na apanha, mesmo no Gerês e no Alentejo e nós não o fazíamos só num dia! Senão até podia dizer que era apenas uma questão de desencontro, mas não! Lembro-me que quando era pequena, muita gente o fazia e na nossa mesa, por esta altura, mais cedo ou mais tarde, lá aparecia uma taça de amoras com açúcar. Era uma coisa especial!

Amoras só se comiam se as apanhássemos e apanhá-las era parte da diversão.  Agora já se vendem nos hipermercados mas o sabor não é o mesmo e o preço não é encorajador. E parte da minha surpresa com tudo isto está aí. Estou a falar de um fruto cheio de virtudes, cheio de sabor e gratuito e curiosamente aproveitá-lo parece-me que deixou de ser um hábito e é até visto por alguns (não digo a maioria!) como estranho!...

Bom, mas já em casa comecei por guardar metade das amoras para fazer doce, já que é o único que o João gosta. E neste momento, já tenho 2 frascos guardados, mas mais virão!

Com as restantes bagas quis fazer uma sobremesa e agradeço as sugestões que me deixaram no Facebook, aliás acho que ainda tenho amoras para experimentar uma delas que não me saiu da cabeça até agora!...Mas voltando à sobremesa, acabei por fazer um crumble sem glúten. Já há algum tempo que recebo emails de visitantes do blog a pedirem-me  receitas para celíacos, especialmente de doces e eu acho que esta é uma óptima sugestão. É simples, deliciosa e feita com um fruto cheio de qualidades medicinais. A mistura de farinha de arroz, farinha de milho, amêndoa moída e canela, dá a este crumble uma textura delicada e um sabor delicioso. Servi-o com um gelado de baunilha e creme de arandos que vou postar em breve. Para breve fica também o doce e mais uma sobremesa que não me sai da cabeça...









Gluten free wild blackberries crumble






The berries are for summer what the mushrooms are for Autumn.  And I can not wait for the right time to pick both.

A few weeks ago, João discovered by chance, a huge extension of blackberries bushes filled with berries, in a spot relatively close to our home. In recent years, we  had to go to Gerês or Alentejo to pick berries, but now I can do it here too and that makes me really happy!


We waited 15 days so the berries had time to mature and last Sunday, after a short walk, we went happily in a true paradise of blackberries, with a small, but sharp handicap, peaks! 

A few hours later, the bags started to weigh and we started to wonder  if we were the only ones to enjoy such bounty. Around the area there are several houses, there were cars and people passing by and yet there were tons and tons of blackberries waiting for us to pick them, us alone and nobody else. During the time we were there, I noticed the curiosity of people and there was even a car that slowed down and someone inside said "they are picking blackberries!" with a tone of surprise, like we were doing something extraordinary!...  It seams like blackberrie picking is no longer an appealing practice.

I remember, when I was little girl, doing a lot of picking with my mother. We knew that in this time of year, sooner or later, there would be a bowl of blackberries dusted with sugar in our table. It was something special! If we wanted blackberries we had to do the work and pick them, and that was part of the fun. Now, there´s boxes and boxes in supermarkets, but the taste is not the same, and the price is not encouraging. And part of my surprise comes from this. I am talking about a fruit filled with virtues, free and full of flavor, and surprisingly, picking it seems to me that is no longer a habit and is even seen by some as a strange thing to do! ...

Back home i saved half the blackberries to make jam, since it is the only one João likes. And right now, I have two jars stored, but more will come!


With the remaining berries i wanted to make a dessert and thank s for your suggestions in Facebook.... But back to the dessert, I ended up making a gluten-free crumble. I´ve been getting  emails from visitors asking  me for gluten free recipes, especially desserts and I think this is a good suggestion. It's simple, delicious and made with a fruit full of medicinal qualities. The mixture of rice flour, corn flour, ground almonds and cinnamon gives this crumble a delicate texture and delicious flavor. And because i have a decadent sweet tooth, I served it with a vanilla  and cranberry swirls ice cream, that I will post soon.
Hope you enjoy this dessert as much as we did!










Crumble de amoras silvestres sem glúten



Ingredientes:
600 g. de amoras
Raspa de 1/2 limão
2 colheres de sopa de açúcar amarelo para polvilhar as amoras
Crumble:
100 g. de farinha de arroz
50 g. de farinha de milho (branca)
50 g. de amêndoa moída
100 g. de manteiga cortada em pedacinhos
1 colher de chá de canela
100 g. de açúcar amarelo

Preparação:
*Pré-aquecer o forno a 180º, marca 4 do fogão a gás.
*Numa taça misturam-se as amoras com o açúcar e a raspa de limão e reserva-se.
*Juntam-se todos os ingredientes para o crumble e esfarelam-se com as pontas dos dedos, até ficarem como migalhas grossas.
*Unta-se uma forma ou caçarola de forno, com manteiga, onde se põem as amoras, cobrindo com o crumble.
*Vai ao forno por 35 a 40 minutos, mas assim que ganhar cor, o que acontece muito rápido, cobre-se com papel de alumínio e deixa-se no forno pelo tempo indicado, até o recheio de amoras começar a borbulhar à superfície.
* Servi com gelado de baunilha e arandos.






Gluten free blackberry crumble  





Ingredients:
600 g. blackberries
Zest of 1 / 2 lemon
2 tablespoons brown sugar to sprinkle blackberries
Crumble:
100 g. rice flour
50 g. corn flour (white)
50 g. ground almonds
100 g.  unsalted butter, cut into small pieces
1 teaspoon cinnamon 100 g. brown sugar

Preparation:
*In a bowl mix the berries with sugar and lemon zest and reserve.

*Preheat oven to 180 degrees,  gas mark 4.
*Mix all the ingredients for the crumble with your fingertips, until it resembles large breadcrumbes.
*Put the berries inside, covering with the crumble.
*Put in the oven for 35 to 40 minutes, but as soon as it turns golden, which happens very quickly, cover with foil and leave in the oven for the time indicated, until the blackberries start bubbling away.
*Serve warm or at room temperature, with vanilla or other ice cream or double cream or even créme fraiche.







Print Friendly and PDF

11 comentários:

Carla disse...

Mónica,
Acho que já ninguém apanha amoras. Também já não as há como havia, desde que o cimento tomou conta da maior parte do espaço, mas lembro-me bem de as apanhar, que as havia em abundãncia na rua onde morava a minha avó materna, bem no cetro de Gaia, imagina. Muito proveitosa foi a tua apanha, em quantidade e em destino.
Beijinhos

Helena Mouta disse...

Mas onde estão essas delícias que nunca as vi?! Os meus sogros moram em Gaia, bem perto do Jardim Soares dos Reis, e dava tudo para encontrar um sítio com abundância destes frutos que adoro e já raramente vejo!

Sofia.Lopez disse...

O crumble ficou maravilhoso, o aspecto crocante e as amoras...delícia!!
Eu recordo com bastante alegria na minha infância, muitas tardes de Verão eram a apanhar amoras...a criançada toda. Depois ou punhamos açucar por cima, ou dentro de copos de iogurtes vazios, com leite, uma colher "espetada" iam ao congelador e "viravam" gelados de amoras... uma verdadeira delícia! Na altura ainda não havia mini-formas de gelados :)
É uma fruta deliciosa, muito rica em antioxidantes, mas infelizmente cara.Eu quando posso também apanho :) sabem melhor directamente da natureza.
Beijinhos

moranguita disse...

por acaso aqui nao ha muito porque as pessoas ou cortam as silvas ou poem produto para as queimar logo nao ha mora:-(
e pena
esta uma delicia monica
beijinhos

Belita a rainha dos couratos disse...

Eu apanho amoras (ía lá perder uma borla!!!) mas é verdade que os outros passam e olham estranhos. Aqui há uns tempos um senhor passou enquanto eu apanhava amoras e disse que há anos que não via ninguém a fazê-lo... está em vias de extinção, como a profissão desse senhor que era Louvado. Alguém sabe o que é???

Cinha disse...

Amiga,por favor conta a esta tua fiel seguidora que mora aqui bem pertinho de ti (Póvoa de Varzim)onde encontras essas magnificas perolas, para ta´mbém eu ir em busca delas!!!!
Simplesmente adoro...mas à anos que não as encontro! Lembro-me de as colher todos os anos com a minha Mãe e depois devorara-las simples, com gelado baunilha, natas, e em doce que se fazia em quantidades industriais para todo ano;))
Beijinhos grandes e obrigado por estes textos tão lindos que me fazem sempre reviver a minha infancia.

Anónimo disse...

Boa tarde! Sou leitora assídua, mas nunca tinha comentado. Hoje não resisti olhi ontem 1,150kg de amoras e apenas gastarei 250 gr a experimentar a vodka de amoras da Nigella. Gostaria de fazer doce com as restantes, mas não tenho nenhuma receita. Fico a aguardar a publicação do seu doce, que será certamente delicioso! :)
Obrigada e parabéns pelo magnífico blog que é "comfort food" para os olhos!

Ermelinda

Nita disse...

Aspecto delicioso!
Beijinho.

nelita disse...

parabéns pela receita sem glutén, sou celiaca e aprecio, mmmmmm k bom !!

Susana disse...

OLá, acho que foi a primeira vez que pus aqui os pés! E estou maravilhada com todas estas delicias que abundam por aqui!!!! Adorei entar na tua cozinha... estou deliciada...
Amoras... que saudades que tenho do meu tempo de infância que ia apanhar amoras com o meu irmão para a minha mae fazer doce. E comia sempre umas quantas pelo caminho, é claro que a minha mãe sabia pois ficava com a boca toda roxa da tinta delas!lol.
Adorei esse cramble é mesmo uma sobremesa delicada. Parabens.

Beijinhos

Sofia Marques disse...

Olá,

apesar de visitar há já algum tempo o seu blog esta é a 1ª vez que comento. Curiosamente esta história da apanha das amoras também a mim me contagiou, se o ano passado já não fui a tempo de as colher, hoje a apanha foi muito frutífera.

Obrigada pela inspiração e pela lembrança dos tempos de criança.

Parabéns pelo seu cada mais bonito blog :)

Sofia

UA-16306440-1