quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Creme de medronhos # Arbutus cream





No final do ano que passou, disse-vos que publicaria aqui a minha segunda receita a ser apresentada no The Rambling Epicure e finalmente aqui está ela.
O texto que podem ler em baixo, foi adaptado do original que foi publicado como introdução à receita.
Aqui podem ver as últimas notícias sobre essas photos.

Para vocês...

"Eu adoro ir ao Gerês no Outono. A tranquilidade e a paisagem deslumbrante, transportam-me para outra dimensão, difícil de definir por palavras.
Naquelas matas eu dispo a armadura que a vida "real" me impõe e sem dar por isso, a cada passo que dou, deixo por terra também a noção do tempo.
Gosto de deambular por entre folhas de cores quentes e tapetes de musgo molhado, respirando a plenos pulmões toda a beleza e generosidade da natureza que me rodeia. E este ano, os medronheiros foram verdadeiramente generosos.

Os medronhos estão muito presentes nas minhas recordações de infância. Quando não os comíamos no Gerês, faziamo-lo em Recarei. Lembro-me sempre do meu pai dizer "Não se podem comer em demasia, porque embebedam". Para mim, nessa altura eram assim como um fruto exótico.
As pequenas bagas têm uma cor linda  variável entre o vermelho vivo e o amarelo, que desde sempre me atraiu. Quando maduros podem ser bem doces, com um toque de acidez e textura mole (por vezes demais até), quebrada pela rijeza das minúsculas "sementes" pretas.

Cheguei a casa acompanhada por essas memórias da infância, com o sabor único dos medronhos na boca e a pensar numa sobremesa inspirada nestes frutos...

Horas depois já eu estava na cozinha, de volta de um creme doce, macio e frutado feito de sensações, vivências e gostos. Enfim, feito acima de tudo de memórias."








In english


At the end of last year, i told you that i would publish here my second recipe to be featured in The Rambling Epicure, and finally here it is. Here you can see the latest news about it.
The text you can read below, was adapted from the original that was publish as an introduction to the recipe.

For You...

"I love to go to Gerês in Autumn. The tranquility of the surroundings and the breathtaking landscape always take me to another dimension, hard to define in only words. I lose myself in those glorious woods and i lose track of time too.
I love to walk through the warm colored leaves and wet moss carpets, enjoying natures beauty and generosity. And this year, arbutus trees have indeed been generous.

Arbutus are very present in my childhood memories. When we didn´t eat them in Gerês, we would eat them in Recarei and i always remenber my father telling me "you can´t have to many, or you will end up drunk"... At that time, for me they were an exotic fruit...
They have the most beautiful color that goes from vivid red to yellow.
When ripe they are sweet with a bit of tartness and the texture is very soft, sometimes even mushy. punctuated by the hardness of the tiny black pips.

I arrived home with all these tastes, scents and memories floating in my mind...
Hours latter, i found myself pottering in the kitchen, cooking a smooth fruity cream, made out of memories."


Creme de medronhos




Ingredientes:
Manteiga (untar ramekins)
600 ml de leite gordo
150 ml de natas (podem ser pasteurizadas)
200 g açúcar
5 ovos
2 colheres de sopa de fécula de batata
150 g de medronhos lavados

Preparação:
*Pré-aqueça o forno a 180º, marca 4 do fogão a gás.
*Unte 7 a 8 ramekins com manteiga e reserve.
*Bata os ovos com o açúcar até ficar com um creme fofo e esbranquiçado.
*Misture o leite com a nata e junte-os à fécula de batata, aos poucos, evitando a formação de grumos (eu uso uma vara de arames que é bastante eficaz)
*Junte a mistura de leite à mistura de ovos e mexa muito bem para ligar.
*Verta o creme nos ramekins até 2/3 e por cima espalhe alguns medronhos.
*Leve ao forno 20 a 25 minutos até o creme ficar dourado.


Arbutus cream


Ingredients:
Butter
600 ml hole milk
150 ml single cream
200 g caster sugar
5 eggs
2 tbs potato starch
150 g arbutus fruit

Preparation:
*Preheat the oven to 180º, gas mark 4.
*Butter 7 to 8 ramekins and reserve.
*Beat the eggs and sugar until pale and fluffy.
*Mix the milk with the single cream and add it slowly to the potato starch, preventing any lumps (i prefer to use a whisker for this)
*Add milk mixture to the egg mixture and combine well into a smooth batter.
*Fill the ramekins with the cream up to 2/3 high and drop a few arbutus in each ramekin.
*Bake for 20 to 25 minutes until golden and beautiful.



Print Friendly and PDF

5 comentários:

Ondina Maria disse...

Este ano ainda não fui ao Gerês, mas queria aproveitar este friozinho para fazer um passeio. Gosto de lá ir em qualquer altura do ano pois acho sempre que é um sitio mágico: com nevoeiro, com sol e folhagem verde, no pico do sol, ao final do dia, o Gerês é sempre lindo e como se entrassemos num universo paralelo só nosso. Aquilo que em inglês fica mais bonito: pulsing with the Earth.

E esta receite transportou-me para lá e quase que senti o cheirinho da terra fria pela manhã :)

Marmita disse...

Acho que nunca provei medronhos, pelos menos que me lembre. Adori as imagens como sempre. Um beijo

Ramona Alina disse...

Ja fiz um bolo de medronho, até quando vou p Alentejo vou ficar com água na boca pensar em esse creme delicioso! bjs.)

sofia disse...

Que lindo. Parabéns!

Www.levedar.com

Executiva de Panela disse...

Não conhecia medronhos até ver esta postagem. É um fruto interessante. Acho que não tem por aqui. As fotos estão lindas. A paisagem me deixou de boca aberta. Fantástica!

UA-16306440-1